Lages e Laguna recebem a “1ª Mostra Sesc de Cinema de Santa Catarina”


27/06/2017 - Atualizado em 07/07/2017 - 290 visualizações

Nove filmes catarinenses, curtas e longas-metragens estão em cartaz na “1ª Mostra Sesc de Cinema de Santa Catarina”, que acontece no Centro Cultural Vidal Ramos – Sesc em Lages e no Cine Teatro Mussi em Laguna, de 02 a 06 de julho, com entrada gratuita. Os audiovisuais foram selecionados para a etapa estadual da “Mostra Sesc de Cinema”, projeto do Sesc Brasil, por meio de processo seletivo regulamentado, que registrou 49 inscrições de produções realizadas no Estado. Após cada sessão da “1ª Mostra Sesc de Cinema de Santa Catarina”, o público poderá participar de mesa de conversa sobre os filmes, com mediação do professor e cineasta Fernando Leão em Lages, e da professora Renata Rogowski, em Laguna.

Os trabalhos exibidos na mostra estadual concorreram a premiações, receberam certificados de destaque e menções honrosas, na cerimônia de premiação do evento em Florianópolis, no dia 18/06. Três filmes foram contemplados com a contratação estadual por dois anos, para exibição nos projetos do Sesc. São eles “Maciço” (dir. Pedro MC), “1234” (dir. Lidio Ramalho) e, “Meu Tio que Me Disse” (dir. Vanusa Angelita Ferlin). Estes audiovisuais concorrem também a uma vaga na etapa nacional da Mostra, que terá resultado final anunciado no dia 13 de julho no Cine Odeon no Rio de Janeiro.

O objetivo do projeto “Mostra Sesc de Cinema” é difundir e incentivar a produção de filmes brasileiros no âmbito nacional. “A maior parte da nossa produção não encontra espaço nos grandes circuitos. Através desse projeto, o Sesc possibilita que essas obras encontrem os mais variados públicos em todas as regiões do país. A realização de uma mostra com filmes exclusivamente brasileiros circulando por todos os estados é um grande passo para a cultura nacional, e novamente o Sesc é pioneiro nessa organização. Os filmes escolhidos apresentam a pluralidade da cultura brasileira de Norte a Sul. Na mostra, a cultura, as cores e os traços do nosso povo vão cintilar nas telas brasileiras”, declara gerente de Cultura do Sesc/SC, Maria Teresa Piccoli. Em novembro de 2017, as Unidades da Instituição
em Santa Catarina recebem a “Mostra Sesc de Cinema – Nacional”, com exibição de filmes representantes de todas as regiões do país.

A programação do evento em Lages e em Laguna inicia no domingo (02/07), às 16h, com Mostra de Curtas Infantojuvenis, que exibe os filmes “Crisálida”, de Sérgio Melo dos Santos e “Meu tio que me disse”, de Vanusa Angelita Ferlin. “Crisálida” ganhou o Destaque de Melhor Montagem na Mostra e recebeu menção honrosa pelo protagonismo e responsabilidade social, ao colocar no centro da criação a questão da acessibilidade com e para pessoas com surdez. Com tradução em Libras, o curta apresenta jovens surdos que enfrentam as dificuldades do dia a dia em uma sociedade desenhada apenas para ouvintes. Destaque de Melhor Direção de Arte, “Meu tio que me disse”, é um dos grandes vencedores da Mostra, ganhou a contratação estadual e concorre a vaga na etapa nacional do projeto. Com legendas em português, o filme traz o questionamento de uma menina sobre a existência de Papai Noel.

Ainda no domingo (02), às 19h em Lages e 20h em Laguna, acontece sessão do longa-metragem “Em Frente”, de Carolina da Silva Gesser e Will Martins, Destaque de Melhor Fotografia da Mostra. O documentário, realizado em parceria com o Social Goods Brasil, apresenta jovens, unidos pela tecnologia, que acreditam em outras formas de construir um mundo diferente, através da inclusão, igualdade e colaboração.

Destaque de Melhor Documentário, o longa-metragem “Maciço”, de Pedro MC, será exibido no segundo dia de programação, na segunda-feira (03/07), às 19h em Lages e 20h em Laguna. O filme também foi premiado com a contratação estadual e concorre a uma vaga na etapa nacional. Recebeu ainda Menção Honrosa na Mostra pelo registro sensível do cotidiano de uma comunidade. O filme apresenta a relação entre o olhar e a escuta na conversa com moradores do Maciço do Morro da Cruz, conjunto de morros que forma o coração da Ilha de Santa Catarina – Florianópolis.

Na terça-feira (04/07), às 19h em Lages e 20h em Laguna, acontece sessão do longa-metragem “180 graus”, de Phil Rocha, Destaque de Melhor Produção na Mostra. Na obra, seis jovens estudantes do Ensino Médio mantém um forte laço de amizade enquanto enfrentam seus dramas pessoais e vêem suas vidas virarem de cabeça para baixo diante de seus olhos.

O longa-metragem “As Bicicletas e a Cidade”, de Fellipe Giesel será exibido na quarta-feira (05/07), às 14h30 em Lages e 14h15 em Laguna. O documentário resgata a tradição das bicicletas em Joinville, a partir de depoimentos, fotografias, matérias de jornais e registros de impostos sobre velocípedes – como eram chamadas as primeiras bicicletas – encontrados no Arquivo Histórico de Joinville, mostrando as diferentes fases da utilização da bicicleta na cidade. A obra foi contemplada na Mostra com Menção Honrosa pela reflexão em relação à mobilidade urbana ao longo do crescimento da cidade de Joinville. 

Ainda na quarta-feira (05/07), às 19h em Lages e 20h em Laguna, tem Mostra de Curtas Adultos, com exibição dos filmes “A noite”, de Rodrigo Amboni, Destaque de Melhor Atuação, e “1234”, de Lidio Jose Franco Ramalho, premiado na Mostra com a contratação estadual, concorrendo uma vaga na etapa nacional. “A noite” aborda a história de um homem que entra em estado de depressão profunda após a morte prematura de sua esposa. Em “1234”, documentário e ficção se misturam para contar a história de imigrantes sírios e suas experiências ao longo de toda uma jornada pela própria vida. O filme também recebeu Menção Honrosa pelo registro atual da situação dos migrantes sírios que chegam ao Brasil.

O evento encerra na quinta-feira (06/07), às 19h em Lages e 20h em laguna, com sessão do documentário “Nego Bom de Pulo - Mestre Nô e a Capoeira da Ilha”, de Kiko Knabben. O filme registra a cidade de Florianópolis nas décadas de 1980 e 1990 pelo olhar de quem faz da capoeira ofício e vida. O audiovisual recebeu Menção Honrosa na Mostra pela contribuição a memória da cultura popular catarinense pelo registro dos mestres da capoeira em Santa Catarina.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA 

02/07 (dom), às 16h em Lages e Laguna: Abertura com a Mostra de Curtas Infantojuvenis, com sessão dos filmes “Crisálida”, de Sérgio Melo dos Santos e “Meu tio que me disse”, de Vanusa Angelita Ferlin. Classificação Livre.

02/07 (dom), 19h em Lages / 20h em Laguna: Sessão do longa-metragem “Em Frente”, de Carolina da Silva Gesser e Will Martins. Classificação Livre.

03/07 (seg), 19h em Lages / 20h em Laguna: Sessão do longa-metragem “Maciço”, de Pedro MC. Classificação: 12 anos.

04/07 (ter), 19h em Lages / 20h em Laguna: Sessão do longa-metragem “180 graus”, de Phil Rocha. Classificação: 14 anos.

05/07 (qua), 14h30 em Lages / 14h15 em Laguna: Sessão do longa-metragem “As Bicicletas e a Cidade”, de Fellipe Giesel. Classificação: 12 anos.

05/07 (qua), 19h em Lages / 20h e, Laguna: Mostra de Curtas Adultos, com exibição dos filmes “A noite”, de Rodrigo Amboni e “1234”, de Lidio Jose Franco Ramalho. Classificação: 14 anos.

06/07 (qui), 19h em Lages / 20h em Laguna: Sessão do longa-metragem “Nego Bom de Pulo - Mestre Nô e a Capoeira da Ilha”, de Kiko Knabben. Classificação Livre.
 

FILMES SELECIONADOS 1ª MOSTRA SESC DE CINEMA DE SANTA CATARINA

“1234”, de Lidio Jose Franco Ramalho 
[Documentário / Curta-metragem / 29min51s / Adulto / Livre / 2016]
Premiado na Mostra Sesc de Cinema SC com a contratação estadual, concorrendo uma vaga na etapa nacional; Menção Honrosa pelo registro atual da situação dos imigrantes sírios que chegam ao Brasil.
Sinopse: Documentário e ficção se misturam para contar a história de imigrantes sírios e suas experiências ao longo de toda uma jornada pela própria vida.

“180 Graus”, de Phil Rocha
[Ficção / Longa-metragem / 01h40min35s / Juvenil / Classificação: 14 anos / 2016]
Destaque de Melhor Produção na Mostra Sesc de Cinema SC.
Sinopse: Seis jovens estudantes do Ensino Médio mantém um forte laço de amizade enquanto enfrentam seus dramas pessoais e vêem suas vidas virarem de cabeça para baixo diante de seus olhos.

“As Bicicletas e a Cidade”, de Fellipe Giesel 
[Documentário / Longa-metragem / 01h12min / Adulto / Classificação: 12 anos / 2016]
Menção Honrosa pela reflexão em relação à mobilidade urbana ao longo do crescimento da cidade de Joinville, na Mostra Sesc de Cinema SC.
Sinopse: Durante o século XX, a cidade de Joinville, Sul do Brasil, experimentou uma fase de intensa industrialização, recebendo milhares de migrantes em busca de trabalho. Nesse período, as bicicletas tornaram-se o principal meio de transporte da população, fazendo com que Joinville ficasse conhecida como a "Cidade das Bicicletas. Mas este título não durou para sempre!

“A noite”, de Rodrigo Amboni 
[Ficção / Curta-metragem / 28min41s / Adulto / Classificação: 12 anos / 2014]
Destaque de Melhor Atuação na Mostra Sesc de Cinema SC.
Sinopse: Após a morte prematura de sua esposa, a vida de Rubens fica suspensa em um estado profundo de depressão, que o faz entrar nos lugares mais ocultos e sensíveis da alma. Seu estado psicológico o faz transitar entre as suas memórias, sensações, medos, sonhos e vigília em um só tempo, o seu tempo interior. E é dentro deste tempo que a história é narrada, com uma linguagem que se afasta da prosa para se aproximar à poesia.

“Crisálida”, de Serginho Melo 
[Ficção / Curta-metragem  / 17min24s / infantojuvenil / Livre / 2016 / Libras]
Destaque de Melhor Montagem da Mostra Sesc de Cinema SC; Menção honrosa pelo protagonismo e responsabilidade social, ao colocar no centro da criação a questão da acessibilidade com e para pessoas com surdez.
Sinopse: Rubens, um adolescente surdo, reconstrói a sua relação com o mundo ao conhecer um intérprete da língua brasileira de sinais (Libras) e acessar sua verdadeira cultura. Esta é a sinopse de Crisálida, ficção bilíngue que visa criar aproximação entre surdos e ouvintes, através da divulgação da cultura surda e da Libras.

“Em Frente”, de Carolina da Silva Gesser e Will Martins
[Documentário / Longa-metragem / 70min / Adulto / Livre / 2017]
Destaque de Melhor Fotografia da Mostra Sesc de Cinema SC.
Sinopse: Ronaldo sonha com um mundo mais inclusivo. Lorrana acredita que a igualdade e a colaboração podem ser a chave para o futuro. Sassaki deixou sua vida no mercado financeiro para transformar a educação e Bruno criou uma forma de aproximar as pessoas de suas cidades. Unidos pela tecnologia, eles acreditam que há uma forma de construir um mundo diferente.

“Maciço”, de Pedro MC
[Documentário / Longa-metragem / 01h18min22s / Adulto / 12 anos / 2012]
Premiado na Mostra Sesc de Cinema SC com a contratação estadual, concorrendo a vaga na etapa nacional do projeto; Destaque de Melhor Documentário; Menção Honrosa pelo registro sensível do cotidiano de uma comunidade.
Sinopse: A relação entre o olhar e a escuta na conversa com moradores do Maciço do Morro da Cruz, conjunto de morros que forma o coração da Ilha de Santa Catarina – Florianópolis. Total de 77 minutos de 120 horas de gravação entre a primavera e verão de 2007 no morros que compõem o maciço central, região com mais de 30 mil moradores que geralmente só tem visibilidade nas páginas policiais ou no período de carnaval, apesar da relação intrínseca com a formação cultural e histórica da cidade.

“Meu Tio que me Disse”, de Vanusa Angelita Ferlin 
[Ficção / Curta-metragem / 10min / infantojuvenil / Livre / 2015 / Legendas em Português]
Premiado na Mostra Sesc de Cinema SC com a contratação estadual, concorrendo a vaga na etapa nacional do projeto. 
Sinopse: Tatiana é uma menina muito curiosa e está intrigada com o fato de toda a cidade estar eufórica com a data de Natal. Numa manhã de dezembro, sua mãe se depara com a pergunta que ela um dia teria a certeza que viria: Papai Noel existe mesmo? A partir da resposta da mãe, a “pergunta” vai ao quintal brincar com os amigos dela, que respondem com muita imaginação.

“Nego Bom de Pulo - Mestre Nô e a Capoeira da Ilha”, de Kiko Knabben
[Documentário / Longa-metragem / 01h23min15s / Adulto / Livre / 2015]
Menção Honrosa na Mostra Sesc de Cinema SC pela contribuição a memória da cultura popular catarinense pelo registro dos mestres da capoeira em Santa Catarina.
Sinopse: Capoeira, manifestação de resistência cultural e física afro-brasileira, faz parte da história do Brasil e de Florianópolis. Atravessou dois séculos escondida nos guetos, terreiros e quintais, proibida de ser praticada. Atualmente, mesmo sendo Patrimônio Imaterial Cultural do Brasil e do Mundo, permanece marginalizada.
“Nego Bom de Pulo” registra a cidade de Florianópolis nas décadas de 80 e 90 pelo olhar de quem faz da capoeira oficio e vida. Apresenta a vida de Mestre Nô, baiano de Itaparica, e sua trajetória para o sul do Brasil. A caminhada do homem que é "capoeira na roda e na vida". Revela o pensamento de uma geração de jovens capoeiras que se responsabilizaram pela valorização dos velhos mestres e seus fundamentos. Vindos de distintos lugares forjaram em Florianópolis uma capoeira resistente, maliciosa, com combatividade e fundamento. Uma identidade chamada de Capoeira da Ilha.

MAIS INFORMAÇÕES: 

LAGES:
Centro Cultural Vidal Ramos – Sesc em Lages: Rua Vidal Ramos Junior, nº 152 - Centro (49) 3222-4271
LAGUNA: Cine Teatro Mussi em Laguna: Sáles, SN, Av. Eng. Colombo Machado Sáles – Centro Histórico (48) 3644.0152  




0 Comentários


Deixe seu comentário

* Seu comentário será publicado após avaliação por moderador do SESC-SC
Sesc-SC • Todos direitos reservados © Sesc-SC • Acessibilidade (shift+alt+y) • Produzido por DNAnet

O Sesc-SC utiliza cookies e tecnologias semelhantes para fornecer recursos essenciais na proteção de dados.
Ao continuar navegando nesta página, você concorda com nossas .