Agenda

Cinema, roda de leitura, performance, debate. Um tema em comum.

Mostra FAM de Cinema: Curta Feminino
Tempo: 68min | Classificação: 12 anos

Estado Itinerante
25min, Minas Gerais, Ficção
Direção: Ana Carolina Soares
Sinopse: Vivi quer escapar de uma relação opressora. Em período de experiência como cobradora de ônibus, ela trabalha desejando não voltar para casa. A semana passa rápido, entre as paradas no ponto final e o itinerário os encontros com outras cobradoras fortalecem a mulher trabalhadora e seu desejo de fuga. Logo é final de semana e o centro de Belo Horizonte já não parece tão longe do bairro Boa Vista.

Procura-se Irenice
25min, São Paulo, Documentário
Direção: Marco Escrivão e Thiago B. Mendonça
Sinopse: O resgate de uma personagem silenciada. A busca por uma atleta esquecida. O encontro com uma história apagada pela ditadura.

Luto
05min, Santa Catarina, Ficção
Direção: Edu Camargo
Sinopse: Luto é um retrato da letargia da população frente a administração do país.

Iluminada
13min, Pernambuco, Documentário
Direção: Gabi Saegesser
Sinopse: Luz, sombra, mistério.

Roda de Leitura: "Outros jeitos de usar a boca”, de Rupi Kaur
Mediação: Carolina Montagnini
Sinopse: "Outros jeitos de usar a boca” é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Da poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia, Rupi Kaur, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.

Performance: "Cartografia do Assédio”, de Pietra Garcia
Concepção: Pietra Garcia e Renato Turnes | Entrevistas e textos: Pietra Garcia | Direção Artística: Renato Turnes | Produção: Karma Cia. de Teatro
Sinopse: "Cartografia do Assédio” é uma performance que investiga a presença do corpo feminino no território urbano, a partir da posse masculina – e machista – do território público. A construção do ato performático surge de um método documental, baseado na coleta de depoimentos espontâneos de mulheres que transitam pela Rua Hercílio Luz, principal via de comércio da cidade de Itajaí/SC. Esse procedimento resultou num mapeamento de violências cotidianas, vividas por aquelas presenças femininas no espaço compartilhado da cidade.

As falas dessas mulheres diversas, além da experiência pessoal da performer, dão sentido a uma dramaturgia em performance, composta por fragmentos de vozes, narrativas de memórias e representações visuais, que compõem um percurso urbano cartografado.

O formato da performance explora as relações entre o íntimo e o público, com ações em espaços internos e percursos de ocupação da rua, em que os participantes são convidados a abandonar a posição passiva de espectadores e tornarem-se cúmplices ativos da performer, sendo conduzidos por ela a um estado de empatia, colaborativo, alerta e questionador. O coletivo em trânsito cruza a cidade, redefinindo olhares no entorno, e criando ações que se localizam entre reconstruções poéticas de estados de opressão e protestos por liberdade.

Debate
Sinopse: Debate logo após o espetáculo com a atriz e performer Pietra Garcia e a Karma Cia. de Teatro

Mostra FAM de Cinema: Longa Documentário
Tempo: 80min | Classificação: 12 anos

Precisamos Falar de Assédio
80min, São Paulo, Documentário
Direção: Paula Sacchetta
Sinopse: Na semana da mulher, uma van estúdio parou em nove locais de São Paulo e Rio de Janeiro para coletar depoimentos de mulheres vítimas de qualquer tipo de assédio. Durante o depoimento, elas ficavam sozinhas na van sem qualquer tipo de interlocução ou entrevistador. As que assim preferissem, poderia cobrir o rosto com máscaras ou ter sua voz distorcida.

Mostra 12 anos

TAGS

Programação para sua cidade